Usinas

Usina Cambuí é a 1ª do Brasil autorizada a funcionar pela ANP

Unidade localizada na região Sudoeste de Goiás passou por vistorias e foi a primeira a conseguir licença de funcionamento após lei que passou responsabilidade de regulação da atividadepp-usina-cambui

de produção de etanol no País para a Agência Nacional do Petróleo

Localizada em Santa Helena de Goiás (GO), a 200 quilômetros da capital goiana, a Usina Cambuí é a primeira unidade industrial do setor sucroenergético no Brasil autorizada a funcionar a partir de resolução que atribuiu à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a regulação sobre a atividade de produção de etanol no País. A resolução nº 26/2012, da ANP, foi publicada em agosto de 2012. Até esse período, era responsabilidade do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) a vistoria, a autorização e a regulação da atividade.

Inaugurada no dia 17 de maio, a Cambuí passou por vistorias de profissionais da ANP antes da emissão da autorização de funcionamento. Segundo o diretor Administrativo da unidade, Gilson Freitas, durante todo o processo foi mantido contato entre a Usina e a Agência, por meio de correspondência eletrônica, telefones e outras ferramentas para troca de informações sobre o que era necessário para o funcionamento da unidade e atendimento da fiscalização. “Inclusive, a ANP nos enviou um relatório com todos os pontos centrais da fiscalização. Diante do conhecimento prévio, iniciamos a montagem da usina com vistas à vistoria da agência e da legislação pertinente”, conta.

Inspeção

Na data marcada para a fiscalização na usina, quatro profissionais – engenheiros químicos e de segurança – estiveram na unidade para verificar a segurança na operação, segurança do trabalho e saúde ocupacional, planta geral, projeto de combate a incêndios, interligações, válvulas de seguranças, escadas, uso de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), Equipamento de Proteção Coletiva (EPCs), entre outros. “Apresentamos o layout de todo o processo de produção, projeto do Corpo de Bombeiros de combate a incêndio, análise de riscos, procedimentos operacionais e comprovantes de treinamentos”, enfatiza.

O diretor Administrativo da Cambuí, Gilson Freitas, enfatiza que para todos da usina é uma satisfação receber o título de primeira autorizada no Brasil a desenvolver atividades de produção de etanol a partir de licença da ANP, pois significa que a usina atende e está de acordo com todas as normas exigidas. “É mais uma prova de sustentabilidade de nossas empresas, onde a preocupação com a produção vem em harmonia com o cumprimento da legislação”, ressalta.

Segundo o presidente executivo dos Sindicatos das Indústrias de Produção de Etanol e Açúcar de Goiás (Sifaeg/ Sifaçúcar), André Rocha, a princípio, a mudança de entidade reguladora do Ministério da Agricultura para a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) trouxe desconfiança para os usineiros, mas no final a alteração foi acertada. “Estamos felizes pela primeira unidade no País a receber a autorização da ANP ser goiana. Esse fato é emblemática e mostra que Goiás, que é um dos estados brasileiros em expansão no setor, é pioneiro”, explica.

Cambuí

A Cambuí Açúcar e Álcool recebeu investimentos de R$ 165 milhões e tem capacidade inicial de processamento de 850 mil toneladas de cana. Em 2014, essa capacidade já subirá para 2 milhões de toneladas. A usina produzirá etanol hidratado e anidro. Com a entrada em operação dessa nova unidade estão sendo criados cerca de mil empregos diretos. A empresa vai atuar com 60% de cana própria e 40% de cana terceirizada, proveniente de fornecedores, sendo que toda a colheita será mecanizada.

Nova regulamentação

A Resolução da Agência Nacional do Petróleo (ANP) nº. 26/2012 visa regulamentar a atividade de produção de etanol que abrange construção, ampliação de capacidade de produção de etanol, através de alteração física das instalações industriais, modificação de instalações industriais já existentes adaptadas para a produção de etanol, operação de Planta Produtora de Etanol e exigências relacionadas à proteção ambiental e à segurança industrial, condicionada à prévia e expressa autorização da ANP.

Canal-Jornal da Bioenergia