Acompanhamento da safra de cana

1ª quinzena de novembro

A moagem pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiu 21,76 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na primeira metade de novembro, cerca de 4 milhões de toneladas abaixo do valor registrado no mesmo período de 2015.

Esse recuo quinzenal na moagem se justifica pelas condições climáticas e pela redução no número de unidades em operação no Centro-Sul. Na primeira quinzena de novembro deste ano, 44 unidades encerraram as suas operações. No acumulado até 16 de novembro, 107 unidades produtoras haviam encerrado a safra em 2016, contra apenas 30 empresas no mesmo período de 2015.

As 107 unidades que finalizaram a moagem até o final da primeira quinzena de novembro deste ano processaram 177,94 milhões de toneladas de cana ou 31,71% do total moído. Essa quantidade esmagada representa um recuo médio de 8,13% na comparação com essas empresas na safra 2015/2016 (193,69 milhões de toneladas).

Na segunda quinzena de novembro, a previsão é de que outras 58 empresas encerrem as operações na safra 2016/2017.

Dados apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) a partir de uma amostra comum de 96 empresas indicam uma redução de 2,27% na produtividade agrícola da área colhida na primeira quinzena de novembro de 2016 em relação ao valor verificado no mês de outubro (67,60 toneladas por hectare em novembro contra 69,17 toneladas por hectare no mês anterior). Na comparação com o mesmo período de 2015, o índice registrou queda de 13,63% (67,60 toneladas por hectare em 2016 frente a 78,27 toneladas por hectare nos primeiros quinze dias de novembro do ano passado).

No acumulado desde o início de abril, a quantidade de cana processada pelas empresas alcançou 561,19 milhões de toneladas, registrando aumento de 3,70% no comparativo com as 541,16 milhões de toneladas verificadas no mesmo período de 2015.

As informações apuradas até o momento indicam que a moagem na safra 2016/2017 poderá ficar aquém do limite inferior de 605 milhões de toneladas divulgado pela UNICA na estimativa de safra em abril deste ano.

A produção de etanol atingiu 919,98 milhões de litros na primeira quinzena de novembro, sendo 458,00 milhões de litros de etanol anidro e 461,98 milhões de litros de etanol hidratado. A produção quinzenal de açúcar, por sua vez, totalizou 1,37 milhão de toneladas no mesmo período.

No acumulado desde 1º de abril até 16 de novembro, a produção de açúcar alcançou 33,56 milhões de toneladas e a de etanol 23,56 bilhões de litros, com 10,00 bilhões de litros de etanol anidro e 13,56 bilhões de litros de etanol hidratado.

As vendas de etanol pelas unidades produtoras do Centro-Sul atingiram 942,99 milhões de litros na primeira quinzena de novembro, com 28,71 milhões de litros direcionados ao mercado externo e 914,28 milhões ao mercado interno.

No mercado doméstico, o volume comercializado de etanol anidro totalizou 411,11 milhões de litros, com queda de 3,89% relação ao volume comercializado na segunda metade de outubro deste ano.

Essas vendas de etanol anidro incorporam o etanol importado pelas unidades do Centro-Sul (112,2 milhões de litros desde o início da safra). Os valores publicados, entretanto, não contemplam produto importado para a região Norte-Nordeste.

As vendas internas de etanol hidratado apresentaram sensível retração nos primeiros 15 dias de novembro. Nesse período, as usinas e destilarias do Centro-Sul comercializaram 503,18 milhões de litros, queda de 20,19% em relação ao resultado da quinzena anterior (630,51 milhões de litros) e recuo de 29,84% no comparativo com a primeira quinzena de novembro de 2015 (717,16 milhões de litros).

 Dados apurados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) indicam que o consumo total de combustíveis leves (ciclo Otto) apresentou queda de 5,12% em outubro de 2016 na comparação com o mesmo período do último ano. No acumulado de janeiro a outubro de 2016, a queda no consumo total atingiu 1,3%.

Unica