Estratégias de governo e da iniciativa privada para cana-de-açúcar serão temas do 2°Canacentro

canavial usina- São JoãoEmbora o crescimento do setor sucroenergético brasileiro seja expressivo, os resultados do segmento ainda estão abaixo do esperado. O controle de preço dos combustíveis, que tem espantado investidores, é o principal entrave que o governo federal impõe. A análise é do consultor Marcos Fava Neves, professor titular de planejamento e estratégia na FEA/USP Campus Ribeirão Preto e coordenador científico do Markestrat.

 A política do governo e as iniciativas privadas serão temas da palestra “Ações para competitividade da produção e industrialização da cana-de-açúcar”, que será apresentada por Fava Neves no durante 2° Congresso do Setor Sucroenergético do Brasil Central – Canacentro, que acontece nos dias 19 e 21 de março, em Campo Grande (MS). “A ideia é explorar todas as oportunidades que vem sendo perdidas pela sociedade brasileira com o naufrágio do programa de etanol patrocinado pelo governo federal, na gestão de Lula e Dilma Rousseff, e qual a agenda do setor privado para conseguir sobreviver em um cenário tão adverso quanto este que foi artificialmente criado”, diz Fava Neves.

 O 2°Canacentro irá debater o cenário do setor e apontar quais os desafios para seu crescimento. De acordo com a Biosul – Associação dos Produtores de Bioenergia de MS, nos últimos oito anos, o setor teve um salto de 50% no Brasil e de 185% no Centro-Oeste. Para garantir a consolidação do setor, o Brasil precisa de 90 novas usinas até 2020 e Mato Grosso do Sul é o estado que apresenta melhores condições para instalação de novas unidades. O evento trará palestras, expositores e debates para auxiliar na elaboração de planejamento, por parte dos gestores públicos, empresários, investidores e produtores, de investimentos no segmento.

 Dados do setor – Segundo dados da Biosul, Mato Grosso do Sul moeu 41.496.041 toneladas de cana-de-açúcar na safra 2013/2014. O volume é 11,28% maior quando comparado à safra anterior, quando o Estado produziu 37,30 milhões de toneladas. No mix de produção, tradicionalmente o Estado destina a maior parte das suas canas para a produção de etanol. A destinação para o açúcar na safra 2013/2014 foi de 28%.

 A produção de etanol registrou um total de 2,23 bilhões de litros, crescimento de 16,45% em relação à safra passada. O hidratado, usado nos veículos flex, teve um crescimento de 14,9%, com a produção de 1,64 bilhão de litros. Já o anidro, que é misturado à gasolina, teve crescimento de 21,02%, com volume de 586 milhões de litros produzidos.

 Foram produzidas 1,36 milhões de toneladas de açúcar em MS, 21,42% a menos do que as 1,74 milhões de toneladas da safra anterior. Já O excedente de bioeletricidade gerado pelas usinas do MS e exportado para o Sistema Integrado Nacional foi de 1.517 GWh, 17% a mais que na safra 12/13.

 Na safra 2013/2014, 22 usinas operaram em MS com produção de etanol, açúcar e bioeletricidade. Desse total, 12 unidades produziram açúcar e etanol, 10 produziram apenas etanol e 10 exportaram bioeletricidade. A produção dessa safra ocupou uma área de corte de 612 mil hectares, um aumento de 13,3% em relação à safra passada. O Estado é um dos mais mecanizados do Brasil, 97% da colheita é feita por meio de máquinas.

 Sobre o evento – O 2° Canacentro acontece entre os dias 19 e 21 de março de 2014, no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. A iniciativa é realizada pela Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul) e a Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul) em parceria com as federações de agricultura e pecuária de Goiás (Faeg), Mato Grosso (Famato) e Distrito Federal (Fape – DF), Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado do Mato Grosso e Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás.

 O II Canacentro é uma realização do Sistema Famasul e Biosul, com promoção das Federações de Agricultura e Pecuária do Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso, Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado de Mato Grosso e Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás. A estimativa de público para o evento é de 800 pessoas. Mais informações podem ser obtidas por meio do site do evento (www.famasul.com.br/canacentro) ou, ainda, pelo telefone (67) 3301-8915.

 Assessoria de Imprensa

Deixe um comentário