Expansão do etanol e do açúcar no Brasil desperta interesse de sauditas

A Missão Comercial do Governo de Goiás ao Oriente Médio evidenciou o interesse de investidores sauditas em apostar na expansão do etanol e do açúcar no Brasil. A economia da Arábia Saudita vive um momento de expansão e busca maior presença no cenário econômico mundial, até como forma de concorrer com os demais países do Golfo Pérsico, que se ocidentalizaram.

É a primeira vez, nos últimos anos, que um governador brasileiro visita a Arábia Saudita. Para Marconi Perillo, é um momento importante de se aproveitar para aprimorar as relações comerciais que favoreçam a balança de exportação do Estado e garantam mais negócios aos empresários goianos.

O presidente-executivo dos sindicatos da Indústria de Fabricação de Etanol e Açúcar do Estado de Goiás (Sifaeg/Sifaçúcar) e do Fórum Nacional Sucroenergético, André Luiz Baptista Lins Rocha, avaliou com “ótima reunião” a que participou com o governador e investidores sauditas, em Riade. “Eles manifestaram interesse em investir em na expansão da indústria sucroenergética brasileira”, disse.

Segundo André Rocha, a Arábia Saudita também é um importante mercado para o setor sucroenergético, uma vez que o Oriente Médio é um grande comprador de açúcar. “Em Abu Dhabi, onde estivemos recentemente, está instalada a maior refinaria de açúcar do mundo”, completou André.

Em Riade, o compromisso da agenda de trabalho do governador e da delegação de autoridades e empresários foi na multinacional de energia ABB, para a prospecção de investimentos e parcerias para transferência de tecnologia. A agenda de trabalho na Arábia Saudita inclui ainda reunião de trabalho do governador e da delegação em dos fundos soberanos do País.

No almoço com os príncipes sauditas, Marconi e a delegação foram recebidos pelo CEO da ABB na Arábia Saudita, Abdullah I. Al Hobayb. A ABB é uma gigante mundial do setor de energia, com negócios em mais de 100 países. A empresa é pioneira e líder em tecnologia, voltada aos clientes industriais, de concessões, transporte e infraestrutura.

Ao falar a movimentada agenda na Arábia Saudita, Marconi assinalou que trata-se de uma enorme conquista para a economia de Goiás, uma vez que é um dos países mais fechados do mundo, apesar de seus empresários e investidores estarem dispostos a celebrar parcerias internacionais. “A decisão da Arábia Saudita de nos receber e nos apresentar para seus empresários e investidores mostra que o País está aberto para as conversações com o Governo de Goiás e com os empreendedores goianos”, assinalou o governador.

Acompanham Marconi nesta segunda etapa da missão o presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti, o secretário de Assuntos Internacionais, Isanulfo de Abreu Cordeiro, a primeira-dama, Valéria Perillo, e o assessor de imprensa, João Bosco Bittencourt.

A Redação

www.aredacao.com.br