Safra recorde: moagem atinge 594,10 milhões de toneladas até 1º de janeiro

Canavial - Unica  No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 1º de janeiro de 2014, a moagem das unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil alcançou o recorde histórico de 594,10 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Este volume é 11,82% maior comparativamente aquele observado no mesmo período da safra 2012/2013.

 Em dezembro, a quantidade moída somou 23,99 milhões de toneladas (dos quais 18,05 milhões de toneladas processadas na primeira metade do mês e 5,94 milhões de toneladas na quinzena seguinte), crescimento de 15,79% sobre aquela verificada no mesmo mês de 2012.

 Segundo o diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, “a safra atual está praticamente concluída, já que poucas unidades permanecerão em atividade nas próximas quinzenas, com produção marginal.”

 Nos últimos 15 dias de dezembro, 115 usinas registraram moagem, contra 70 computadas na mesma quinzena do ano anterior. Destas 115 unidades, 12 devem continuar em operação em janeiro.

 Em relação à produtividade agrícola, esta totalizou 73 toneladas de cana-de-açúcar por hectare em dezembro, segundo dados do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC). No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até o final daquele mês, o rendimento médio do canavial colhido atingiu 79,80 toneladas por hectare, alta de 7,4% quando comparado a idêntico período de 2012. Este aumento percentual é praticamente igual ao apurado para o Estado de São Paulo, onde a produtividade agrícola acumulada alcançou 83,40 toneladas por hectare.

 Qualidade da matéria-prima

 No acumulado desde o início da atual safra até 1º de janeiro de 2014, a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) somou 133,44 kg por tonelada de cana-de-açúcar, abaixo daquela registrada na mesma data do ano passado (135,66 kg de ATR por tonelada).

 Já nos últimos 15 dias de dezembro, o teor de açúcares na planta totalizou 132,38 kg por tonelada, 7,07% superior comparativamente aquele verificado em igual quinzena de 2012.

 Contudo este valor quinzenal deve ser analisado com muita cautela. Isso porque o cálculo deste indicador de ATR, chamado “ATR produto”, se dá a partir do volume de cana processada e das produções de etanol e de açúcar, tomando-se certas premissas relativas às perdas industriais e às eficiências de fermentação e de destilação. Diante desta metodologia de cálculo e considerando que várias unidades encerraram esta safra no decorrer da segunda quinzena de dezembro, houve um descompasso entre a quantidade de matéria-prima moída e o respectivo montante de produtos fabricados. Especificamente, este montante de produtos (etanol e açúcar) em fabricação não obteve sua respectiva contrapartida em cana-de-açúcar já processada, elevando artificialmente o índice calculado pela UNICA.

 Produção de etanol e de açúcar

 Da quantidade total de cana-de-açúcar processada em dezembro, 38,43% destinou-se à produção de açúcar, abaixo dos 44,08% verificados no mesmo mês da safra passada. No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 1º de janeiro, este percentual totalizou 45,36%.

 Como resultado, a produção de açúcar acumulada neste período somou 34,27 milhões de toneladas, ligeiro crescimento de 0,58% relativamente à safra anterior. No último mês, a quantidade produzida atingiu 1,13 milhão de toneladas.

 Em relação ao etanol, o volume fabricado alcançou 25,37 bilhões de litros no acumulado do início da corrente safra até o final de dezembro, aumento de 19,20% sobre igual período de 2012. Deste montante, 11,02 bilhões de litros referem-se ao etanol anidro e 14,36 bilhões de litros ao etanol hidratado.

 “Importante destacar que estes volumes agregam a produção de etanol a partir de milho, realizada por unidades do Estado de Mato Grosso”, comentou o executivo. Especificamente, foram fabricados no período 3,93 milhões de litros de etanol anidro e 7,34 milhões de litros de etanol hidratado, utilizando o milho como matéria-prima. “Porém, no cálculo do indicador “ATR produto”, estes volumes não foram considerados”, acrescentou Rodrigues.

 Em dezembro, a produção de etanol somou 1,12 bilhão de litros (806,19 milhões de litros fabricados na primeira quinzena), sendo 432,77 milhões de litros de etanol anidro e 686,20 milhões de litros de etanol hidratado.

 O diretor da UNICA destaca que todo o crescimento da moagem registrado na safra 2013/2014 destinou-se à produção do biocombustível. “Essa situação trouxe benefícios enormes para o abastecimento doméstico, não somente em termos ambientais, como também econômicos aos consumidores, à Petrobras – com a redução da importação de gasolina e à balança comercial do País”, concluiu o executivo.

 Vendas de etanol

 O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul entre abril a dezembro alcançou 19,46 bilhões de litros (8,37 bilhões de litros de etanol anidro e 11,09 bilhões de litros de etanol hidratado), alta de 15,24% em relação ao mesmo período de 2012. Deste total, 2,29 bilhões de litros destinaram-se à exportação e 17,17 bilhões de litros ao mercado interno.

 Em dezembro, as vendas internas de etanol hidratado alcançaram 1,14 bilhão de litros, crescimento de 12,78% quando comparado ao mesmo mês do ano passado. No acumulado desde abril da atual safra até dezembro, este volume alcançou 10,27 bilhões litros, acima daquele observado em igual período de 2012 (8,82 bilhões de litros).

 No que se refere ao etanol anidro, 720,32 milhões de litros foram comercializados no mercado doméstico em dezembro. No acumulado de abril até o final daquele mês, as vendas alcançaram 6,90 bilhões de litros, contra 5,06 bilhões de litros verificados na safra 2012/2013.

 “Apesar deste incremento das vendas, o volume de etanol atualmente disponível nas unidades produtoras é cerca de 15% superior relativamente aquele registrado no mesmo período do ano anterior, sendo portanto suficiente para atender a demanda nos próximos meses”, destacou o diretor.

 Este cenário decorre do crescimento da produção (19,20%), aliada ao declínio das exportações. Esta queda já totaliza 23,94%, com 2,29 bilhões de litros exportados entre abril a dezembro de 2013 contra 3,01 bilhões de litros em idêntico período de 2012.

  Sobre os dados de safra

 Os dados divulgados nesta atualização de safra são compilados e analisados pela UNICA, com números fornecidos pelos seguintes sindicatos e associações de produtores da Região Centro-Sul:

 ALCOPAR – Associação dos Produtores de Bioenergia no Estado do Paraná

BIOSUL – Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul

SIAMIG – Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais

SIFAEG – Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás

SINDAAF – Sindicato Fluminense dos Produtores de Açúcar e Etanol

SINDALCOOL – Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso

SUDES – Sociedade das Usinas e Destilarias do Espírito Santo

  Ass. de Imprensa UNICA

Deixe um comentário