Vendas de etanol hidratado avançam no Centro-Sul

•             O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras do Centro-Sul totalizou 30,02 milhões de toneladas na segunda quinzena de outubro de 2017. Esse resultado é inferior às 32,39 milhões de toneladas processadas na primeira metade do mês e 5,62% menor quando comparado à moagem observada na última quinzena de outubro de 2016 (31,81 milhões de toneladas).

•             Essa retração se deve às chuvas intensas que ocorreram nas áreas canavieiras do Estado de São Paulo, no noroeste do Paraná, Triângulo Mineiro e sul goiano.

•             Até 31 de outubro, 43 unidades produtoras encerraram a safra 2017/2018. Até essa mesma data de 2016, eram 67 unidades com operação finalizada.

•             No acumulado desde o início do ciclo 2017/2018 até 31 de outubro, a moagem alcançou 529,60 milhões de toneladas, 1,97% abaixo daquela verificada no mesmo período do último ano (540,25 milhões de toneladas).

•             Nos 15 dias finais de outubro, a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) totalizou 153,64 kg por tonelada de cana processada, registrando aumento de 4,91% em relação à primeira quinzena de outubro. Esse crescimento no ATR produto foi influenciado, entre outros fatores, pelas chuvas ocorridas nos últimos dias do mês de outubro, reduzindo a moagem devido a parada das unidades. Em contrapartida, na avaliação do ATR da cana, aquele verificado antes do processo produtivo, o indicador registra queda entre 2% a 3% no Centro-Sul.

•             No acumulado da atual safra, o ATR produto atingiu 137,80 kg por tonelada, frente aos 134,00 kg contabilizados no mesmo período do ciclo 2016/2017.

•             Na última quinzena de outubro, 42,85% da matéria-prima processada destinou-se à fabricação de açúcar, ante 49,29% computados no mesmo período do ano passado e 43,87% na primeira metade de outubro de 2017. No acumulado de 2017/2018 até 31 de outubro, este percentual foi de 47,60%.

•             A fabricação de açúcar na última metade de outubro alcançou 1,88 milhão de toneladas, queda de 5,02% sobre a quinzena anterior e de 8,68% sobre a quantidade registrada ao final de outubro de 2016 (2,06 milhões de toneladas). Desde o início da safra 2017/2018 até o momento, a produção somou 33,10 milhões de toneladas.

•             No caso do etanol, a tendência é contrária. Nos últimos 15 dias de outubro, sua produção avançou 19,60% sobre o mesmo período de 2016, totalizando 1,57 bilhão de litros (921,07 milhões de litros de hidratado e 648,70 milhões de litros de anidro). Entre o início do ciclo 2017/2018 até 31 de outubro, o volume fabricado atingiu 22,60 bilhões de litros (12,86 bilhões de litros de hidratado e 9,74 bilhões de anidro).

•             A produção de etanol a partir do milho no acumulado de abril a outubro somou 206,18 milhões de litros, ante 78,82 milhões de litros na safra 2016/17. No mês de outubro deste ano, a produção alcançou 45,5 milhões de litros.

•             Em relação à produtividade agrícola, no acumulado de abril a outubro, a retração no rendimento do canavial no Centro-Sul atingiu 1,58%, segundo pesquisa do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC). Nesse período, a produtividade agrícola na região totalizou 77,53 toneladas por hectare, contra 78,77 toneladas por hectare no ciclo anterior. No mês de outubro, para uma amostra de 150 unidades, o rendimento médio da área colhida por hectare atingiu 66,30, queda de 0,45% em relação ao índice apurado no mesmo mês do último ano.

•             As vendas de etanol pelas unidades produtoras do Centro-Sul alcançaram 2,46 bilhões de litros em outubro de 2017; forte alta de 15,21% em relação ao mesmo mês do último ano. Trata-se também do maior volume mensal na atual safra.

•             Esse resultado decorre principalmente da ampliação das vendas de hidratado ao mercado interno. Estas totalizaram 1,50 bilhão de litros, aumento de 21,66% sobre os 1,23 bilhão de litros apurados em outubro de 2016.

•             Na segunda metade do mês, o volume comercializado do biocombustível no mercado doméstico atingiu surpreendentes 839,63 milhões de litros, o que corresponde a um crescimento de 32,48% sobre os 633,77 milhões de litros vendidos no mesmo período do ano passado. Historicamente, este é o segundo maior valor já observado, superado apenas pelos 877,33 milhões de litros registrados na última quinzena de outubro de 2015.

•             Em relação ao etanol anidro, as vendas ao mercado interno somaram 794,46 milhões de litros em outubro de 2017, com 443,38 milhões de litros comercializados na segunda metade do mês.

•             As exportações alcançaram 171,97 milhões de litros em outubro, dos quais 79% foram de anidro.

•             Esse avanço reflete os preços atrativos do produto comparativamente à gasolina em boa parte do mercado consumidor brasileiro. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nos Estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo, há dez semanas consecutivas abastecer com etanol é mais econômico.

Unica